Você provavelmente já ouviu falar na Lei Geral de Proteção de Dados, a LGPD. Mas, você sabe exatamente do que trata essa Lei e como ela vai impactar a gestão de hotéis e outros negócios de hospedagem?

Segundo pesquisa realizada pela Symantec, dois em cada três hotéis vazam dados de seus hóspedes. O mais preocupante? A maioria dos vazamentos acontece no envio de e-mail de confirmação de reserva, que pode ter no código de referência anexado um link compartilhado com mais de 30 provedores de serviços diferentes.

lei geral de proteção de dados: chave quebrada e fundo de conectores de memória virtual

Cenário preocupante para hóspedes que correm risco iminente de ter seus dados pessoais compartilhados sem consentimento? Sim! Mas também para hotéis que, com a entrada em vigor da nova legislação sobre tratamento de dados pessoais, precisarão adequar seus procedimentos às normas da Lei, sob pena de pagarem multas que vão de 2% do faturamento do empreendimento a R$ 50 milhões de reais.  

Quer saber mais sobre como a Lei Geral de Proteção de Dados vai impactar o seu negócio? Continue a leitura!

 O que é a LGPD?

Antes de mostrarmos como a Lei Geral de Proteção de Dados vai impactar na gestão de hotéis, é importante esclarecermos sobre o que trata essa nova legislação. 

Lei de número 13709/18, a LGPD foi aprovada em agosto de 2018, deve entrar em vigor em dezembro de 2020 e cria normas para o tratamento de dados pessoais de pessoa física por empresas e terceiros. 

lei geral de proteção de dados: circulo com um cadeado virtual no centro

A nova lei, que substitui o popularmente conhecido “Marco Civil da Internet”, pretende dar mais transparência ao tratamento de dados e garantir ao cidadão maior poder de decisão no compartilhamento de dados pessoais. 

Para negócios de hospedagem, é importante entender que, segundo a LGPD, tratamento de dados pessoais é qualquer operação realizada por empresas e terceiros de dados próprios de um indivíduo. Por tanto, hotéis e outros empreendimentos do segmento que coletam, reproduzem, transmitem, comunicam e processam dados de hóspedes devem se adequar à Lei. 

Como os hotéis serão impactados pela Lei Geral de Proteção de Dados?

Como mostramos já no começo deste texto, uma pesquisa feita em hotéis de duas a quatro estrelas em 54 países ao redor do mundo identificou que 1/3 dos hotéis vazam dados pessoais de seus hóspedes. Muitos deles, pelo e-mail de confirmação. Especialistas dizem que criptografar esses emails, medida sem grandes custos, já seria capaz de diminuir consideravelmente essa taxa. 

No entanto, a realidade da maioria dos hotéis é de poucos cuidados com os dados pessoais coletados dos hóspedes. Uma negligência que, com a nova lei, pode levar a grandes prejuízos. 

lei geral de proteção de dados: cadeados virtuais

Dentre todas as adequações impostas pela entrada em vigor da nova Lei, duas que devem ser observadas com atenção pelos hotéis são: 

  • a necessidade de dobrar o cuidado ao contratar PMSs, buscando parceiros que estejam comprometidos com o cumprimento da legislação do tratamento de dados
  • a obrigatoriedade, imposta pela LGPD, de instaurar um Comitê de Segurança da Informação para analisar os procedimentos internos de tratamento dos dados pessoais, que será responsável por observar e cuidar para que a nova legislação seja cumprida no hotel.

Este conteúdo foi útil para você e ajudou a alertá-lo para a necessidade de adequar o seu hotel à Lei Geral de Proteção de Dados? Talvez outros gestores do segmento de hospedagem precisem das informações que apresentamos neste conteúdo. Então, compartilhe este artigo em suas redes sociais e ajude a fortalecer o setor de hotelaria.