Sistema de Controle de Acesso no Elevador

O leitor de elevador é um equipamento colocado nas cabines dos elevadores e serve para controlar “quem vai” e “para onde vai”. É possível configurar, por exemplo, que um hóspede possa utilizar o edifício inteiro (todos os andares, sem restrição), possa utilizar do 1º andar até o 28º andar, ou ainda configurar andares específicos que ele pode acessar, a depender da configuração de cada hotel. Um hóspede poderia acessar seu andar e os andares da piscina e do salão de jogos, por exemplo. 

Dessa forma, o Leitor de Elevador impõe, portanto, uma restrição no uso do elevador, impedindo que alguém que não é hóspede utilize o elevador e adentre indevidamente o interior do edifício. Quando o é feita a leitura do cartão, verificam-se as informações como a data de validade, hora e código do cartão. Se estes parâmetros estão corretos, lê as autorizações dadas ao cartão e ativa os relês correspondentes. Se o cartão não é válido, o leitor não ativará nenhum relê.

 

Sistema de Controle de Acesso em Cancela de Estacionamento

O Controlador para Garagem é um item para controle de entrada e saída de veículos. Utilizando um leitor de radiofrequência em um totem na entrada ou saída do estacionamento do hotel, os hóspedes são habilitados para utilizar o estacionamento enquanto seus cartões de acesso ao quarto forem válidos (durante sua estadia). 

Assim, além do controle do acesso à garagem, as entradas e saídas dos carros na garagem ficam registrados, evitando roubos, uso indevido do estacionamento (por exemplo, após o fim da estadia, ou mesmo para alguém que não é hóspede).

Sistema de Controle de Acesso em Catracas

É possível controlar o acesso dos hóspedes, funcionários e visitantes com as mesmas catracas e de forma que, utilizando cartões ou crachás, possam acessar determinados ambientes. Por exemplo, caso haja no restaurante do hotel um catraca com sistema eletrônico de controle de acesso, é possível registrar em tempo real no PMS que o hóspede do quarto 101 consumiu café da manhã, ao mesmo tempo em que evita que hóspedes que não adquiriram algum serviço específico do hotel consumam estes.

 

Sistema de Controle de Acesso em outras portas públicas

Todo ambiente pode ter seu acesso controlado com uma simples integração de leitor de parede. O leitor funciona com padrão Mifare de radiofrequência e pode ser colocado onde houver uma porta de vidro ou portas comuns que funcionam com qualquer dispositivo eletromecânico (eletroimã, eletrostrike, motor para portas de correr entre outros) e em ambientes que requerem muita segurança. 

Um bom leitor de parede leva memória que registra as todas as aberturas do leitor, contendo dados como Nome do Usuário, Data, Hora, “quem” gravou seu cartão e quando gravou o cartão.

 

Como se pode ver, as possibilidades geradas pelos Sistemas de Segurança e Controle de Acesso para Hotel permitem um vasto leque de aplicações. Talvez duas das mais importantes vantagens de implementar esse tipo de tecnologia são as seguintes: 

Auditoria: o uso de fechaduras eletrônicas, catracas e leitores de parede proporciona o armazenamento de dados de acesso de usuários, sejam eles hóspedes, funcionários ou visitantes. Em outras palavras, as fechaduras eletrônicas guardam os acessos em sua memória, indicando data, horário e a pessoa que acessou, entre outros detalhes. Isso é extremamente importante, em diversas situações: para fazer controle do consumo de determinadas dependências do hotel; para aplicação mais eficiente de serviços dentro do hotel; para investigações, servindo como fonte primária de dados, complementando os dados de câmeras de segurança, por exemplo. 

Automação: o uso de controle de acesso eletrônico extingue o uso de chaves mecânicas (o enorme molho de chaves se torna apenas um único cartão!), cortando custos de reposição destas e evitando uma série de inconvenientes. Um cartão utilizado para alguma finalidade pode ser facilmente cancelado e programado para ter outra finalidade, e até para outra pessoa. Um cartão perdido pode ser facilmente bloqueado em todos os equipamentos das dependências, ou seja, se um funcionário perder uma chave que abre diversas portas, não é necessário trocar o miolo dessas diversas portas, basta cancelar seu cartão no sistema.

 

Sobre o autor:

Jessé Resende

Experiente executivo com uma longa história na indústria de hospitalidade. Já dirigiu as maiores multinacionais do mercado de Segurança Hoteleira no Brasil e América do Sul. Atualmente é CEO da Saga Systems Brasil.

Veja também

Deixe um comentário