Impactos da pandemia no setor hoteleiro

Com a chegada da pandemia de coronavírus, vários setores da economia foram fortemente impactados, entre eles o setor hoteleiro que se viu diante da paralisação do turismo de negócios e lazer no Brasil e no mundo.

A maioria dos empreendimentos tiveram que suspender, temporariamente, suas operações com o objetivo não só de preservar a saúde da equipe e dos hóspedes, mas também a saúde financeira do negócio. 

Tudo isso é extremamente preocupante e suas consequências não irão terminar com o fim das recomendações de isolamento social e da pandemia de covid-19. Os danos deverão se estender por vários meses e irão exigir grandes mudanças no setor.

E para que você, gestor do setor hoteleiro, não se sinta tão perdido, neste artigo nós traçamos um resumo da situação atual e das medidas que deverão ser tomadas para a redução dos prejuízos no segmento de hospedagem. Boa leitura!

Impactos da pandemia de coronavírus no setor hoteleiro brasileiro

Assim como na maior parte do mundo, no Brasil o setor hoteleiro é um dos mais prejudicados pela pandemia de coronavírus. Isso porque a doença causou o cancelamento de diversos eventos no país, a suspensão de viagens e a imposição do trabalho remoto. 

O impacto no segmento tem sido brutal. O volume de reservas caiu mais de 70% no mês de abril, se comparado ao mesmo mês de 2019. E a maior parte das reservas futuras também estão sendo canceladas, fazendo com que a ocupação dos grandes hotéis em São Paulo, que ainda permanecem abertos, fique entre  5% a 7%. 

Além de São Paulo, Rio de Janeiro, onde cerca de 25 estabelecimentos interromperam suas atividades em abril, e Salvador, onde a pandemia reduziu praticamente a zero as reservas nos hotéis da cidade, são exemplos da situação provocada pela pandemia de covid-19 nos hotéis brasileiros. 

E não é só a hotelaria tradicional que está sendo impactada pela crise, modelos de locação de imóveis e quartos por aplicativo, como o Airbnb, vistos como tendência de mercado, também foram prejudicados. A tendência é que os quartos e imóveis disponibilizados no aplicativo continuem vagos por período indeterminado.

O que pode ser feito para salvar o setor hoteleiro

Cálculos do WTTC (sigla em inglês para Conselho Mundial de Viagens e Turismo) apontam que o Turismo contribuiu com 10,3% do PIB mundial em 2019 e foi responsável pela geração de um em cada quatro novos empregos no mundo. E tem mais, durante nove anos consecutivos o setor hoteleiro cresceu mais que a economia mundial. Por essas e outras, o WTTC considera que a reativação do setor deve ser prioridade máxima em todo o mundo.

Mas enquanto os negócios não são retomados, será exigido do segmento muita resiliência e diálogo, além de sabedoria para contingenciar custos e preservar o negócio. 

A curto prazo ainda é complicado traçar soluções, pois o cenário que se apresenta está completamente fora de controle. Acredita-se em uma retomada apenas a partir do segundo semestre e até lá corremos o risco de ver muitas falências. Assim, o que o setor precisa é ter fôlego, para pagar as contas mesmo sem nenhuma receita.

Além de criação de linhas de crédito focadas em capital de giro, empresários do setor pedem o parcelamento de impostos, desoneração da folha de pagamento, redução momentânea de alíquotas e ajuda do Procon na negociação de cancelamentos de reservas.

Grupos do setor estão em contato com o governo federal e o Ministério do Turismo propondo medidas para mitigar os impactos da crise. 

Protocolos lançados para a retomada pós-pandemia de coronavírus

Além da questão financeira, a crise causada pela pandemia trará também novos protocolos de saúde e higiene para o setor hoteleiro. 

Segundo o WTTC, estas serão algumas das novas regras para o setor: 

  • limpeza e lavagem das mãos entre funcionários, hóspedes e convidados
  • desinfecção dos cartões e chaves dos quarto
  • incentivo ao pagamento eletrônico
  • desinfetantes para as mãos em todos os andares, entradas e saídas
  • desinfecção de controles de TV, interruptores de luz, termostatos e maçanetas
  • limpeza e redução de capacidade máxima dos elevadores
  • entrega do café da manhã no apartamento, sempre que possível.

Como você pode perceber, o momento é de atenção e mudança. Por isso, é fundamental ficar por dentro de todas as notícias do setor. Acompanhe as publicações aqui no blog e veja outros conteúdos sobre os impactos da pandemia na hotelaria, incluindo o artigo com 5 coisas para aprender com a crise causada pelo coronavírus.

Veja também

Deixe um comentário